dicas black friday

Dicas Black Friday: 8 atitudes para vender mais e melhor

Por Pablo Ribeiro

Divulgue esse Artigo

Mais uma Black Friday está chegando! Em 2019, o grande dia de ofertas será em 29 de novembro. A essa altura, muitos brasileiros já estão fazendo suas listas em busca das melhores promoções. A ansiedade também atinge os lojistas, e não é pra menos. Na edição passada, as vendas no e-commerce durante a Black Friday atingiram a marca de R$2,92 milhões. E a expectativa para esse ano é vender ainda mais!

Para conseguir resultados sólidos nesse dia, os varejistas precisam executar mais ações além de baixar os preços. A principal medida é começar o planejamento para a data com a maior antecedência possível. E você? Já começou a colocar em prática alguma ação para vender mais na Black Friday? 

dicas black friday

A seguir, listamos oito tarefas que são indispensáveis para quem quer se destacar diante da concorrência e atingir metas. Confira!

Dicas Black Friday: confira a nossa lista

A nossa principal dica para Black Friday é: planeje! Antecipe-se o máximo que puder. Assim, você sai na frente dos concorrentes e pode se organizar melhor, inclusive em relação ao orçamento. Sem mais delongas, vamos às dicas:

Capriche nas promoções

Em 2013, quando a Black Friday começou a ficar conhecida no Brasil, muitas lojas “maquiaram” seus descontos. Alguns dias antes da sexta-feira, elas subiram os preços dos seus produtos para que quando eles voltassem ao seu valor normal, os clientes tivessem a impressão de que estavam mais baratos. A prática nada honesta criou uma péssima fama para o evento e o apelido “Black Fraude” pegou.

Felizmente, nos anos seguintes os varejistas em geral perceberam que essa prática pode prejudicar e muito a reputação de suas marcas para sempre. A cada ano que passa, os consumidores ficam mais educados em relação ao e-commerce e conseguem identificar com mais facilidade uma falsa promoção. E quando isso acontece, rapidamente a notícia se espalha: as redes sociais estão aí para isso! Além da má fama, lojistas que insistem nessa prática podem inclusive ser multados por órgãos como o Procon, que intensificam a fiscalização nessa época.

Então, batalhe por descontos de verdade para sua clientela. Negocie com seus fornecedores, reveja os preços dos seus produtos e lance mão de estratégias como descontos progressivos ou combos de produtos. Ofereça vantagens reais e você não se arrependerá.

Prepare seu estoque

Aproveite a negociação com os fornecedores para adquirir uma maior quantidade daqueles produtos que você costuma vender bem. A tendência é que, na Black Friday, eles tenham uma saída ainda maior. Mas não descuide de nada! Nesse dia, a quantidade de acessos costuma ser muito maior que a habitual, principalmente se você investir pesado em ações de marketing.

Não existe nada mais frustrante para um consumidor do que esperar a hora certa para comprar e, justamente nesse momento, descobrir que o produto não está mais disponível no estoque. Lembre-se que a Black Friday costuma se estender por todo o fim de semana, às vezes até a segunda-feira (Cyber Monday). Mais que isso, a temporada aquecida de vendas vai até janeiro, quando os produtos entram em liquidação. Invista sem medo!

Facilite o frete

Imagine que você conseguiu atrair um visitante para a sua loja virtual. Ele encontrou o que procurava e levou o item para o carrinho. Ao preencher seus dados pessoais e incluir seu CEP, vem a surpresa: o valor do frete é bem mais alto do que o esperado. Essa é uma das principais causas de abandono de carrinho, e pode jogar todo o seu investimento na aquisição desse cliente por água abaixo.  

Alguns lojistas, equivocadamente, compensam o valor descontado do produto em um frete mais caro que o comum. Mas uma boa atitude seria justamente o contrário: oferecer boas condições no frete como mais uma vantagem competitiva perante seus concorrentes. 

Outro fator importante é o prazo de entrega. É melhor ser transparente desde o início e informar um prazo mais longo que o de costume que prometer o que não vai poder cumprir. Essa pode ser uma boa oportunidade para trabalhar em parceria com transportadoras, tendo uma alternativa aos Correios.

Garanta a estabilidade do seu site

Seu site precisa ser previamente preparado para receber uma quantidade alta de acessos simultâneos. Imagina a frustração de um cliente ao tentar navegar pela sua loja e se deparar com uma demora excessiva no carregamento das páginas? Em casos como esses, é comum que o cliente busque outra opção, mais eficiente. Em um quadro ainda pior, sua loja pode simplesmente sair do ar. Um pesadelo, não é mesmo? 

Para afastar esse risco, analise cuidadosamente a estrutura da sua loja: plataforma e servidor. Cheque se eles estão aptos a receberem muitas visitas e muitos pedidos de compra. Mas faça isso com a maior antecedência possível, para que haja tempo para implementar as mudanças necessárias.

Pense no mobile

Segundo o relatório Webshoppers, da E-bit/Nielsen, 43% das compras feitas em e-commerces no primeiro semestre de 2019 foram feitas a partir de um dispositivo móvel, como o smartphone. O ticket médio foi de R$353, o que comprova que todo tipo de compra é realizada dessa forma. 

Por isso, é muito importante preparar sua loja para esse tipo de acesso. O consumidor precisa ter uma navegação plena, com botões e imagens adaptados ao tamanho da tela, por exemplo. Além de ajudar na usabilidade, a otimização também é um fator de rankeamento no Google. Certifique-se que o template escolhido para sua loja é mobile friendly, teste o carregamento das páginas e verifique se o design é intuitivo no mobile.

Defina os meios de pagamento

Ainda de acordo com o Webshoppers, 67% das compras feitas em lojas virtuais na primeira metade de 2019 foram pagas com cartão de crédito. Mesmo com as taxas cobradas pelas operadoras e intermediadoras, esse tipo de pagamento não pode ficar de fora das opções que você oferece. Acima de tudo, cartões de crédito representam um aumento no poder de compra, graças ao parcelamento, por exemplo.

Transferências bancárias, débito em conta e carteiras digitais também podem ser boas opções, dependendo do perfil dos seus clientes. Atenção apenas com o boleto bancário: durante a Black Friday, muitos boletos emitidos não são pagos. Os produtos que ficam “reservados” deixam de estar disponíveis para quem realmente quer comprar e você pode acabar perdendo vendas.

Simplifique o Checkout

Na Black Friday, muitas compras são movidas à emoção de encontrar um bom preço. Para não perder nenhuma oportunidade, tudo deve funcionar perfeitamente, de forma rápida. Assim também é com o Checkout, ou seja, a etapa de conclusão da compra. 

A missão do varejista é tornar esse processo o mais simples possível. Evite formulários longos e concentre-se em recolher apenas os dados indispensáveis. Mantenha o carrinho visível todo o tempo e, quando ele for acessado, mostre todos os produtos escolhidos e as informações importantes, como prazo de entrega e frete por exemplo.

Cuide da segurança do seu site

Uma loja virtual segura é fundamental tanto para o lojista, quanto para o consumidor. Ainda mais na Black Friday, quando o número de acessos é grande e a quantidade de tentativas de golpe também.  

De acordo com um levantamento da Konduto, houve uma média de tentativas de fraude de 1,43% no fim de semana da Black Friday em 2018 (de quinta a domingo). Considerando que os sistemas da empresa antifraude registraram um total de R$ 707 milhões em compras, isso significa que cerca de R$ 10,1 milhões em perdas ao comércio eletrônico foram evitadas.Entendeu por que é importante investir nesse tipo de proteção para a sua loja online? 

Com essa checklist em mãos, você está preparado para ter a melhor Black Friday possível. Boas vendas!








Divulgue esse Artigo


0 comentário (s):


O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cancelar

Artigos relacionados